O que uma joia?

O que uma joia?

Olá princesas, tudo joia?

Vamos falar de um conceito que tem sofrido alterações em seu significado nos últimos anos.

E vamos começar com uma pergunta: O que vem a sua mente quando fala-se em Joia?

Certamente, o que vem a sua mente, é um adorno feito de metal nobre e  pedras preciosas.

Mas será esse mesmo o real significado de uma joia? Convido você a seguir a leitura para descobrir isso.

Primeiramente iniciamos com a definição do dicionário do Google:

JOIA: Sub. Fem. : Objeto de material precioso, finamente trabalhado, usado como adorno.

No dicionário Priberam dá a seguinte definição:

JOIA: Objeto de adorno de matéria preciosa como ouro, prata ou platina.

De acordo com essas definições, você não esta errada em sua definição mental sobre joias. Mas vamos mais a fundo, na origem da palavra joia e um pouco de sua história.

A palavra joia tem origem no latim, jocalis, que significa “aquilo que alegra, que causa prazer”, juntamente com a palavra gaudium, que se traduz por contentamento, satisfação, prazer e principalmente alegria.

Tendo em vista, esta última definição, joia é tudo aquilo que nos dá prazer, alegria de viver.

Assim como Joalheria/joalharia, teve origem na palavra Jocale (latim) tem o significado de brincar.

Mas por que essa definição foi alterada ao longo doa anos?

O conceito de joia nunca esteve muito distante do ornamento. Afinal, a ornamentação é uma fonte inesgotável de alegria e prazer para a maior partes das pessoas.

Mas, como embelezar-se e tornar-se único e diferenciável?

O ser humano tem inúmeras formas para isso, desde a pré-história tem arranjado meios de destacar-se, por meios de vestuários e peças de adornos como, por exemplo, ossos, dentes e pedras, ou ainda, tatuagem e escarificação, usada orgulhosamente até hoje por algumas trilhos africanas, como Bodi, Mursi e Surma da Etiópia do Sul.

O conceito da joia enquanto adorno obtido por meio de alto empenho e trabalho primoroso não foi uma exclusividade das culturas mesopotâmicas e europeias, conhecedoras da ourivesaria e metalurgia. Pelo contrário, outros povos, distantes em tempo e em espaço, manifestavam essa mesma percepção.

Em sua obra A joia: design e história publicada em 2008, a historiadora Eliana Gola cita como exemplo desta ideia a cerimônia de casamento na tribo Caribe, na região do Rio Xingu, quando o índio deve presentear o sogro com um colar chamado Urapei. O matrimônio acontecia se a joia fosse feita com primor, e a peça era seria usada pela esposa como demonstração do afeto de seu marido que se dedicou por horas para fazer-lhe a joia.

Para fazer o colar Urapei, são recolhidas dezenas de caramujos, esses são selecionados e depois são retiradas lascas com menos de um centímetro de largura por dois de comprimento. As lascas são esfregadas nas pedras dos rios até atingirem o formato ideal, em seguidas são justapostas em semicírculo, formando um colar.

Em diversas culturas ao redor do globo, floresceu a associação entre a preciosidade e os metais. De brilho inédito e difícil obtenção, os metais que não oxidavam rapidamente (como prata e ouro) passaram a ser utilizados para manufatura de adornos corporais. As gemas minerais e naturais também foram usadas, tanto por sua estética, quanto pelos seus valores místicos e socioeconômicos.

Ser presenteada com joia é receber uma mensagem de prazer e de alegria, e isso tangencia o valor monetário dos materiais porque esbarra naquela dialética que foi citada lá em cima. Quantas horas aquela pessoa trabalhou para poder te dar esse anel?


Atualmente, com várias técnicas de produção de adornos e adereços tem havido discussões sobre o que é joia, levando em consideração os trabalhos manuais, que alguns levam horas e esforço física para fabricação de uma peça, que não deixa de ser preciosa, por conta de sua raridade.

Mas existe um senso comum, para ser uma joia o adorno deve ter essas características.

Uma joia é criada a partir de um metal nobre, como ouro, prata e platina;

Ser desenvolvida por um designer de joias;

Normalmente possui um gema natural, ou seja, uma pedra preciosa como por exemplo um diamante, uma safira ou rubi, etc.

Fique sempre por dentro das novidades e promoções, inscreva-se em nossa newsletter.

Um grande abraço!

Renata Reis